janeiro 18, 2016

164. A mania da comparação!

-- imagem --


Um dos "traumas" (só que não) de infância que tenho até hoje são as comparações às minhas vizinhas. Na minha rua viviam duas raparigas, uma mais velha uns dois ou três anos e outra da minha idade. A Susana, a mais velha, filha de uma costureira amiga da minha avó e eu até costumava ir brincar para a casa dela. Tinha um quintal enorme e nós fazíamos cabanas de cartão e com as almofadas dos sofás e ficávamos lá dentro a brincar. Era isso e fazer concursos de dança só as duas, ao som da Lambada. Com a outra, que nem me lembro o nome, nunca tive nenhuma relação. Até porque os pais dela não eram muito sociais com o resto dos vizinhos. Mas era sobre essa, curiosamente, que a minha avó e a minha mãe mais me comparavam. Ora porque ela ia "aos mandados", ora porque ela lavava a louça, ora porque ela estendia a roupa, ora porque isto, aqui e o outro. Isto foi assim até perceberem que a princesa de santa tinha pouco. Pois é, a Miss Perfeição era também a Miss Corrida da escola e da cidade inteira. Ups! Acabaram as comparações! Mas com a Susana também haviam comparações. Só que aí eu levava na boa porque éramos amigas. E também, verdade seja dita, as comparações não eram tão constantes.

E isto voltou a atormentar-me agora, por causa dos meus sobrinhos. Se a comparação com "estranhos" magoa, a comparação com irmãos gémeos chega a ser frustrante. Acreditem. Os gémeos são vistos como uma só pessoa. Se um gosta de morango, o outro tem que gostar também, obrigatoriamente, só porque é gémeo. Se um é bom a matemática, o outro também tem de ser. Enfim. Eles têm 1 anos e as comparações já começam, vindas de estranhos. Ora porque um tem mais dentes, ora porque o outro começou a andar mais cedo, ora porque um já aprendeu uma gracinha e o outro não! Não gosto. Não acho bem! Cada um é um só, diferente do outro.

E vocês? Sofreram deste mal?

4 comentários:

  1. Compararem-me com a minha irmã e ela a mim! Odeio!
    R: Claro que sim ehehe

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As pessoas não entendem que isso magoa. Enfim!

      Eliminar
  2. Eu odeio o hábito das comparações. Acho isso péssimo e potencialmente prejudicial para quem tem de as ouvir. Tenho dois irmãos mais novos, de idade muito próxima, e se há coisa que evitamos fazer é comparações. Como disseste, cada um é como é!

    http://aondenaoestou.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E essas comparações entre irmãos agravam-se nos gémeos. É muito mau.

      Eliminar

*respondo aos vossos comentários aqui*